• neoPDV

Equipamentos para seu PDV(Ponto de Venda), o que você precisa levar em conta!

Atualizado: 28 de mai. de 2021




Os equipamentos do PDV (Ponto de Venda) são fundamentais para que se tenha um bom funcionamento da área.


Para o lojista o Ponto De Venda é o local “sagrado” do varejo, porque é ali que se finaliza a experiência de compras do seu cliente. O cliente voltando em sua loja, indica que você está no caminho certo.


Sabemos que é difícil entender o significado e importância de tantas siglas, por isso nosso próximo post falará sobre as Siglas do Varejo para facilitar a compreensão de alguns termos.

Porém hoje falaremos sobre o PDV e os equipamentos que vão te ajudar na venda!


1) Check-out

Check-out é uma palavra em inglês que remete ao ato de sair, fechar uma conta ou dar baixa em algum tipo de processo. Essa palavra é muito usada nos hotéis e descreve o momento em que o hóspede paga a sua conta, antes de ir embora.


No universo do comércio varejista a visão é um pouco mais complexa. De forma análoga ao hotel, é o momento no qual o cliente paga pelas compras e deixa a loja.


Poderíamos dizer, então, que check-out quer dizer “controle de saída”.


Entretanto, ao longo do tempo, o termo passou a designar o local e o conjunto de ferramentas, que registra a saída dos produtos da loja, muitas vezes apelidado de caixa. Tanto é que a pessoa que realiza esse processo é chamada de operador de caixa.


2) Localização e espaço disponível


Antes de se definir quais equipamentos utilizar, é preciso pensar muito na localização e o espaço físico disponível.


O local de instalação deve conter toda infra de conexão elétrica e rede para os computadores e equipamentos fiscais.


Não se atentar a esses fatores simples, podem acarretar problemas de instabilidade no seu ponto de venda.


3) Computador


Para proporcionar uma boa interligação com os equipamentos, o computador deve ter várias portas USB’s e pelo menos uma Porta Serial. Essas conexões permitirão a interligação com balanças, leitores de códigos de barras, teclados, gavetas, além da impressora, cujo tipo irá variar de acordo com a solução fiscal exigida pelo seu Estado.


4) Leitor de código de barras


O Leitor de código de barras, também chamado de scanner, é utilizado para a leitura de códigos de barras dos produtos, podendo ser de mão ou de mesa:

  • Leitor de códigos de barra de mão: tem um custo menor, porém funciona com apenas um feixe de laser. Deve ser direcionado para a posição correta do código de barras da mercadoria, caso contrário não realiza a leitura. É indicado para lojas de menor movimento.

  • Leitor de códigos de barras de mesa: tem um maior custo e é fixo, entretanto, é mais rápido. Como ele tem vários feixes de laser, detecta o código de barras com mais facilidade, permitindo que a mercadoria possa ser passada em várias posições. É indicado para lojas com maiores volumes de vendas e necessitam de velocidade com operação simples e eficiente.

5) Balança


A balança é útil para o varejo que trabalha com produtos pesáveis em geral, dependendo do tipo, online ou offline, ela pode ser instalada diretamente no PDV ou em locais específicos da área de vendas.


A instalação de balanças offline diretamente no setor que vai ser pesado o produto, proporciona boa eficiência operacional. Ela deve ser do tipo que incorpora a impressora de códigos de barras.


Com isso, há um ganho na agilidade no check-out, já que o operador do caixa simplesmente passa o produto pelo scanner (leitor de código de barras).


Quando a balança for online, ou seja, diretamente no check-out, ela será do tipo sem impressora, pois já estará interligada ao PDV. Pode haver uma economia quando comparada com as balanças offline, que são mais caras, pois emitem etiquetas.


Porém, deve-se considerar a responsabilidade de identificação do produto fica para o operador do caixa, já que ele é quem fará a digitação do código correspondente ao produto vendido.


O ideal é que seja feito um estudo de acordo com as características de sua loja, analisando qual a melhor balança, para a correta tomada de decisão.


6) Terminal de consulta

Dependendo do tamanho de sua loja, terminais de consulta são usados para disponibilizar ao seu cliente em sua área de vendas, a consulta de preços dos produtos.


O decreto federal nº 5.903, de 20 de setembro de 2006, regulamentou o uso dessa ferramenta, citando que os leitores óticos deverão ser dispostos na área de vendas, observada a distância máxima de quinze metros entre qualquer produto e a leitora ótica mais próxima.


7) No-break


O No-break (do inglês, sem paradas) é um equipamento específico para se manter o ponto de venda em operação, quando da falta de energia elétrica.


Outro benefício é o de proteger o check-out contra a instabilidade ou surtos de energia em sua rede.


É um acessório indispensável, pois minimiza os riscos de prejuízo com o caixa fora de operação e de danos nos equipamentos.


Deve ser analisada a capacidade do No-break, cujo custo está diretamente ligado ao prazo no qual as baterias internas da ferramenta conseguem se manter.


8) Gaveta


Para uma maior segurança, o ideal é que se tenha uma gaveta conectada ao ECF, quando essa for a solução fiscal de sua loja.


Dessa forma, o operador de caixa só terá acesso à mesma quando do fechamento do cupom fiscal ou nas sangrias, suprimentos de caixa e fechamento do operador.


Com outras soluções fiscais ela pode estar integrada ao software ou estar totalmente independente, ou seja, pode ser acessada a qualquer momento pelo operador do caixa.


9) Teclado especial

Um teclado especial se diferencia do teclado convencional pelo tamanho e pela capacidade de ser configurado. Com teclas personalizadas, você aumenta a eficiência do operador de caixa e propicia uma operação mais ágil no ponto de venda.


10) Impressora não fiscal

A implementação do S@T em São Paulo e NFC-e nos demais estados, faz com que os varejistas se adequem a algumas mudanças no processo de emissão dos cupons fiscais.


Uma dessas mudanças é em relação à impressora, que passa a ser não fiscal.


Ao escolher qual impressora não fiscal comprar, analise as entradas e saídas que melhor atenderão sua loja. Outro ponto importante que pode interferir no seu PDV é a velocidade de impressão e corte do papel.


11) Computador para PDV

As operações de sua loja, desde o sistema de vendas e a gestão de estoque, até a emissão de notas fiscais dependem do funcionamento de um computador.


O computador do PDV que é responsável por possibilitar a operação dos programas que facilitam a gestão de seu negócio.


Ao definir qual o melhor computador utilizar no PDV, escolha um computador que execute todos os programas necessários para o funcionamento do PDV, além de suas rotinas diárias no caso de apenas um computador em sua loja. Por último, analise o espaço que o computador ocupará no PDV.


Agora que você já sabe alguns dos itens mais importantes para montar o seu PDV, fica mais fácil dar início ou atualizar o seu negócio, e se precisar de um sistema de gestao, conheça o sistema neoPDV que lhe ajudará nas tarefas do dia a dia de sua loja!





106 visualizações0 comentário